INTRODUÇÃO

História de Porto Velho

Oficializada em 2 de outubro de 1914, Porto Velho foi criada por desbravadores por volta de 1907, durante a construção da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré.

Em plena Floresta Amazônica, e inserida na maior bacia hidrográfica do mundo, onde os rios ainda governam a vida dos homens, é a Capital do estado de Rondônia. Fica nas barrancas da margem direita do rio Madeira, o maior afluente da margem direita do rio Amazonas.

Desde meados do século XIX, nos primeiros movimentos para construir uma ferrovia que possibilitasse superar o trecho encachoeirado do rio Madeira (cerca de 380km) e dar vazão à borracha produzida na Bolívia e na região de Guajará-Mirim, a localidade escolhida para construção do porto onde o caucho seria transbordado para os navios seguindo então para a Europa e os EUA, foi Santo Antônio do Madeira, província de Mato Grosso.

As dificuldades de construção e operação de um porto fluvial, em frente aos rochedos da cachoeira de Santo Antônio, fizeram com que construtores e armadores utilizassem o pequeno porto amazônico localizado 7km abaixo, em local muito mais favorável.

Em 15 de janeiro de 1873, o Imperador Dom Pedro II assinou o Decreto-Lei nº 5.024, autorizando navios mercantes de todas as nações subirem o Rio Madeira. Em decorrência, foram construídas modernas facilidades de atracação em Santo Antônio, que passou a ser denominado Porto Novo.

O porto velho dos militares continuou a ser usado por sua maior segurança, apesar das dificuldades operacionais e da distância até Santo Antônio, ponto inicial da EFMM.

Percival Farquhar, proprietário da empresa que afinal conseguiu concluir a ferrovia em 1912, desde 1907 usava o velho porto para descarregar materiais para a obra e, quando decidiu que o ponto inicial da ferrovia seria aquele (já na província do Amazonas), tornou-se o verdadeiro fundador da cidade que, quando foi afinal oficializada pela Assembléia do Amazonas, recebeu o nome Porto Velho. Hoje, a capital de Rondônia.

A cidade nasceu e cresceu das instalações ferroviárias da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré, através da exploração de borracha e posteriormente de cassiterita e de ouro. Moravam cerca de mil pessoas quando a obra da construção da Estrada de Ferro se concluiu, geralmente seus residentes eram funcionários da empresa construtora. Tornou-se município em 1914, quando ainda pertencia ao Estado do Mato Grosso. Em 1943, com o município de Guajará-Mirim passou a constituir o Território Federal do Guaporé, que em 1956 passou a ser denominado Rondônia, e veio a ser elevado à categoria de Estado em 4 de janeiro de 1982.

Prédios antigos de Porto Velho-RO

 
O Edifício Monte Líbano, na Rua José de Alencar, foi o primeiro prédio a ser construído todo de alvenaria. Sua obra iniciou em 1915, e pertencia ao libanês Jorge Bichara. Foi construído por etapas, e somente em 1950 foi totalmente concluído, e permanece da mesma até hoje.


                                                  Edifício Feitoza  
 Em 1954, o seringalista e comerciante Emídio Alves Feitoza, deu início à construção de um prédio comercial localizado na esquina da Rua José de Alencar com a Rua Barão do Rio Branco. O Edifício Feitoza com dois pavimentos, misto de concreto armado e alvenaria, foi projetado pelo engenheiro José Otino de Freitas e pode ser considerado arquitetonicamente  de estilo moderno. Ostenta nos altos, uma imponente escultura evocando a figura mitológica de Mercúrio, o deus do comércio.  




                                                 Catedral Sagrado Coração de Jesus





 Uma pedra fundamental foi lançada no dia 3 de maio de 1917, quando Porto Velho pertencia a comarca de Humaitá, no Estado do Amazonas. Provisoriamente teria sido construída uma Capela provisória, que a comunidade local denominava Vaticano, situada onde hoje se encontra o edifico do governo estadual, que durante um temporal, teve sua estrutura muito comprometida ocasionando um desabamento.
Os trabalhos para a construção de uma nova obra em um novo local tiveram inicio em 26 de setembro de 1927, contando com o trabalho e apoio importante do Padre João Nicoletti. As obras da Catedral ocorrem em ritmo lento. O engenheiro Francisco Erse, auxiliado pelo mestre de obras, José Ribeiro de Souza e o auxiliar de pedreiro Crisóstomo Nina, introduziram em Porto Velho, a novidade das formas que lembram os estilo neoclássico da arquitetura da Igreja. Os afrescos existentes no alto das laterais internas da Catedral foram pintados pelo padre italiano Ângelo Cerri. As obras da Catedral, prosseguiam. Em 1960 foram colocados pela empresa Juca, de São Paulo, 147 m² de vitrais em estilo clássico, retratando a Via Sacra.



  Palácio do Governo ( Palácio Presidente Vargas) 








Em 13 de setembro de 1948 o Governador do Território Federal do Guaporé Joaquim Araújo Lima, lançava a pedra fundamental do futuro Palácio do Território. O engenheiro civil responsável pela obra foi José Otino de Freitas, que projetou uma edificação com linhas sóbrias e elegantes, com características eruditas. No primeiro governo de Ênio Pinheiro dos Santos Pinheiros (1953-1954) foram concluídas as obras e o Palácio foi inaugurado no dia 29 de janeiro de 1954, durantes as comemorações dos dez anos de instalação do Território Federal. 




 Colégio Salesiano ( Seminário Maior João XXIII)  









Seminário Maior João XXIII antigo Colégio Dom Bosco  é uma edificação das mais antigas de Porto Velho. A pedra fundamental foi lançada em 7 de julho de 1935, a construção ficou sob o comando do português Pedro Renda . O prédio foi construído para atender a congregação salesiana que visava a constituição de um colégio internato e semi-internato, foi reconhecido como Ginásio Dom Bosco pelo governo federal em 1945.



  Cine Teatro Resk


 O grande prédio do Cine Teatro Resk, construído pelo patriarca da família o libanês George João Resk, na rua Nathanael Albuquerque, esquina com a praça General Rondon. Inaugurado em junho de 1950, o Cine propiciou momentos culturais e de entretenimentos na cidade com artistas nacionais em apresentações memoráveis.      




 Edifício da Administração da Estrada de Ferro ( Prédio do Relógio)  




A torre ostenta um relógio, onde foi colocado um sino que tocava à época a cada 15 minutos e contem inscrições com os nomes do Governador Joaquim de Araújo Lima e do diretor da E.F Madeira Mamoré, Ananias Ferreira de Andrade. Esse relógio durante anos foi um seguro guia de horário para a população de Porto Velho e, em homenagem a ele, o povo batizou-o com o nome de prédio do relógio.



História do Mercado Municipal ( Mercado Cultural )  
                                                                 Mercado Municipal de Porto Velho - RO
               Mercado Municipal em sua configuração original, na esquina da Rua Presidente Dutra com a Rua Henrique Dias. 
A origem da construção do Mercado Público coincide com a instalação do Município de Porto Velho, no dia 24 de janeiro de 1915, Major Fernando Guapindaia, resolveu criar o Mercado para resolver o abastecimento de carnes verdes. A primeira parte da edificação foi construída pelo português Pedro Renda. A obra ficou paralisada durante 15 anos e foi concluída apenas em 1950, quando Ruy Catanhede era Prefeito de Porto Velho.
A concepção arquitetônica do prédio lembrava o estilo “art-decort” da primeira metade do século XX. Possuía quatro portais e em seu interior havia quatro pavilhões distribuídos em uma área de 1.405 m², contento quarenta e quatro boxes.      

                                        
 História do Sobrado Episcopal

                      Lançamento da pedra fundamental do Palácio do Governo, ao fundo Sobrado Episcopal - Porto Velho- RO
Localizado na Av. Presidente Dutra, esquina com a Rua D. Pedro II o sobrado episcopal conhecido como a “casa do bispo”, foi edificado em 1945 em um topo de uma plataforma onde apareciam afloramentos de canga. Esse sobrado foi construído pelo comerciante Albino Henriques para a residência de sua família e vendido ao Governo do Território do Guaporé em 1947 quando foi cedido para residência do recém chegado Bispo D. João Batista Costa, sendo também utilizado como sede do bispado. Posteriormente o governo destinou então o sobrado para a residência oficial do secretário geral, cargo equivalente hoje, a vice-governador. No início da década de 60 do século passado, com a abertura da BR-29, hoje 364, o sobrado serviu como república para alguns engenheiros das empresas construtoras.   








  Sobrado de Santo Antônio
                                                      Sobrado de Santo Antônio ( Casarão) - Porto Velho - RO
 
Foi inaugurado provavelmente em 1878 durante a construção da Estrada de Ferro Madeira Mamoré.  Possui traçados arquitetônicos neo-clássicos inspirados na arquitetura inglesa. Teria sido construído para ser residências da família Collins durante a construção da ferrovia na localidade de Santo Antônio quando ali era município do Mato Grosso. O sobrado originalmente é pintado de amarelo com arcadas de cor branca com dois pavimentos. Nas décadas de 70 o local se transformou no Iate Clube de Porto Velho, posteriormente se tornou propriedade particular.



  Palácio da Justiça – Fórum Ruy Barbosa   
 Fórum Foto de 1950


foto de 1968
                                            Palácio da Justiça Rui Barbosa - Porto Velho - RO
Em comemoração ao centenário de nascimento de Ruy Barbosa, foi lançado no dia 5 de novembro de 1949, a pedra fundamental do Palácio da Justiça na Praça Marechal Rondon. A obra foi iniciada do governo de Joaquim Araújo Lima, em estilo sóbrio e de linhas simples. Na década de 80 do século passado, o Fórum Ruy Barbosa foi demolido e em seu lugar surgiu o prédio envidraçado e de grande tamanho para época. Alguns moradores antigos protestaram com a mudança da sua arquitetura que respondia ao passado do final do segundo ciclo da borracha. 
                                         


Clube Internacional ( Ferroviário)   
                                                               Clube Internacional ( Ferroviário) - Porto Velho - RO
 

No passado era chamado de prédio General Mess, na avenida sete de setembro, onde eram servidas duas mil refeições diária, com exceção do café da manhã,  aos funcionários da Estrada de Ferro Madeira Mamoré, local onde hoje é o Clube Ferroviário. Mais tarde nesse prédio funcionou o Clube Internacional inaugurado no dia 15 de novembro de 1919 com grande baile de gala.



    História do Bairro Caiary  
                                                             Casas do Bairro Caiari - Porto Velho - RO
O problema residencial nas décadas de 30 e 40 do século passado, em Porto Velho, era latente. O Diretor da E.F. Madeira Mamoré, Aluízio Pinheiro Ferreira, conseguiu a liberação de recursos financeiros junto ao Ministério de Viação e Obras Públicas, visando solucionar o problema. A construção das residências ocorreu na década de 40, situam-se nas Ruas Duque de Caxias e Santos Dumont, Avenida Presidente Dutra, Farqhuar, Carlos Gomes e Rogério Weber.  Essas casas eram destinadas aos funcionários graduados da ferrovia, eram dotadas de sistema de ventilação, avarandadas, com rede de água encanada e instalação elétrica. O bairro formado recebeu o nome de Caiary. Na etimologia tupi-guarani, significa madeira.



                                        
 Três Caixas D’água ( Três Marias )
  Três Caixas d´ águas - Porto Velho - RO
As três Caixas D` água pussuem capacidade para armazenar 200 mil litros cada. O projeto de execução dessa obra foi da Chicago Bridge Iron Works. Construídas pela May, Jekll y Randolph durante a construção da Estrada de Ferro Madeira Mamoré. Em1910 temos apenas uma caixa dágua e em 1912 é concluída a montagem de mais duas. Essas caixas dágua, pintadas de preto, tinham tampas pintadas de branco, durante muito tempo abasteceram a cidade de Porto Velho, quando em 1957 foram desativadas. Foi tombada como pratrimônio histórico em 1988.



  Escola Normal Regional do Território
A Escola Normal Regional do Território Federal do Guaporé foi criada através do Decreto No. 47 no ano de 1947. No início a Escola Normal funcionava no Grupo Escolar Duque de Caxias, na Avenida Farquar. Dentre os primeiros alunos matriculados em 1948, destacamos os professores e escritores, Abnael Machado de Lima e Lourival Chagas da Silva.
Somente em 1950, o Governador Joaquim de Araujo Lima determinou a construção do prédio da Escola Normal. O projeto arquitetônico foi de autoria do engenheiro e arquiteto José Otino de Freitas. Assim como o prédio da administração da EFMM (prédio do relógio) foi baseado nas formas de uma locomotiva, a Escola Normal baseou-se nas formas de um navio.
Temos o dever de registrar e agradecer os primeiros professores que lecionaram voluntariamente (sem remuneração alguma) 



  Antiga Maternidade Darcy Vargas    
Foi construída então, a primeira maternidade da cidade de Porto Velho, a Maternidade Darcy Vargas.
Durante quase quatro décadas, a Maternidade Darcy Vargas funcionou na Avenida Carlos Gomes esquina com a Rua Rui Barbosa. A mesma foi desativada em janeiro de 1983. Com a inauguração do Hospital de Base Ary Pinheiro, as atividades da maternidade foram transferidas para o novo hospital.
Atualmente o prédio da antiga maternidade pertence à Prefeitura Municipal de Porto Velho. No local funciona a CGE – Controladoria Geral do Município, mas o imóvel continua da mesma forma desde sua construção.


                                                          O Palacete Rio Madeira 

O Palacete Rio Madeira foi construído em 1947, pois era necessária uma residência oficial para o Governador do Território Federal do Guaporé. Porem o único governador a residir no palacete foi o Governador Frederico Trota.

Seu sucessor, Joaquim Araujo Lima transferiu a residência oficial do governador para Rua José do Patrocínio, onde hoje está o abandonado Memorial Jorge Teixeira. O palacete passou a ser residência oficial de políticos que visitavam o Território. Ademar de Barros se hospedou no palacete quando visitou o território, na época que era governador do Estado de São Paulo.
No local funcionou também a Divisão de Educação do Território (equivalente atualmente a Secretaria de Estado de Educação) e foi utilizado como escola pública. Este imóvel foi também sede da antiga URES – União Rondoniense dos Estudantes Secundaristas.

Com a chegada do 5º BEC – Batalhão de Engenharia e Construção, o imóvel passou a ser utilizado como clube dos oficiais. Atualmente funciona como hotel de transito, para oficiais que aguardam vaga em algumas das residências do exercito. 
O antigo Palacete Rio Madeira situa-se na Rua Dom Pedro II esquina com Euclides da Cunha.





 Colégio Barão do Solimões
Colégio Barão do Solimões, do Hospital São José e da antiga Prefeitura de Porto Velho. Destes, somente o Barão do Solimões se encontra ainda em atividades. O São José se transformou em outro hospital e o prédio da antiga prefeitura encontra-se em ruínas.
O Colégio Barão do Solimões, foi a primeira escola estadual construída na cidade, quando Porto Velho ainda era município do Amazonas. A escola foi criada pelo Governo do Amazonas, Governador Alfredo Sá, através da Portaria nº 287 de 28 de julho de 1925.
A importância deste colégio foi tamanha, que foi nele que aconteceu a cerimônia de instalação do Território Federal do Guaporé, em 24 de janeiro de 1944, quando Aluizio Ferreira foi nomeado como primeiro Governador do Território. O colégio está situado na Rua José Bonifacio, entre as Ruas Carlos Gomes e Dom Pedro II
As terras que hoje compõe o Estado de Rondônia eram administradas pelos estados do Amazonas e Mato Grosso. Antes da criação do Território do Guaporé em 1943, as escolas no município de Porto Velho eram regidas pelas leis do Estado do Amazonas e as escolas de Santo Antonio e Guajará Mirim obedeciam às leis do Estado do Mato Grosso.



  Vista da Av. Pres. Dutra a partir da pracinha do cine Reski.
 







 Praça Aluízio Ferreira no Bairro Caiari.


  .

 Vista aérea de Porto Velho, 1950 - ao centro praça Aluízio Ferreira.

 Vista do Porto Velho Hotel, hoje Unir, tendo a frente o Palácio (Getúlio Vargas) do Governo.





Correios, 1950.


 Sede dos Correios de Porto Velho-RO.




    Vista aérea do Cai nágua a partir do Bairro Caiari





    Antigo Museu de Porto Velho que foi demolido.





  Colégio Maria Auxiliadora
--





Instituto Educacional Carmela Dutra, déc. 1950.



Cruzamento das avenidas Sete de Setembro com Pres. Dutra, 1950 - o prédio em destaque ainda existe, porém sua fachada histórica está deteriorada e oculta por uma placa comercial.






Associação Comercial do Guaporé, 1950 - na época ainda éramos Território Federal do Guaporé.


---

Banco da Borracha, 1950 - atual Banco da Amazônia/BASA, hoje no local funcional uma academia de ginástica.




--------
O prédio da UNIR/Centro denominava-se de Porto Velho Hotel.






"Até os anos setenta o prédio da UNIR/Centro denominava-se de Porto Velho Hotel.
O autor do projeto foi o Arquiteto Leogin de Vasconcelos Chaves e sua construção iniciou-se em 1948 e
 foi acompanhada pelos Engenheiros José Otino de Freitas e Carlos Sales, tendo sido inaugurado
 em janeiro de 1953, com a presença de várias autoridades locais se destacando a do Governador do Acre. Na época foi um grande acontecimento para a vida social da cidade.
Está localizado na Av. Presidente Dutra, dominando com sua imponência grande parte da cidade.
O Governo do então Território do Guaporé entregou o prédio ao seu primeiro arrendatário o Senhor Henrique Valente que ali ficou administrando desde a sua inauguração (1953) até o ano de 1961. Depois teve como arrendatário o Senhor Abelardo Townes de Castro, no período de 1962 a 1963 e por último a Senhora Nilce  Lima Guimarães que permaneceu nos anos de 1964 a 1969. Era uma pessoa muito criativa e dinâmica; inovou o espaço, criando a Varanda Tropical, colocando chapéu de sol nas mesas, novidade na época, passando a ser o ponto obrigatório das personalidades da cidade. 
A partir daí por várias razões, entre elas o surgimento de outros meios de hospedagem, o Governo achou inviável o funcionamento do prédio como hotel, tanto que em 1974 o Porto Velho Hotel é desativado. No ano seguinte no Governo do Coronel Humberto da Silva Guedes o prédio sofre algumas reformas  internas com a finalidade de ali sediar as Secretarias do Governo.
No ano de 1979 surge o Palácio das Secretarias que ali se instalaram até a criação da Esplanada das Secretarias, onde até hoje abriga parte das Secretarias do Estado de Rondônia.
Logo depois surge a Fundação Centro de Ensino Superior de Rondônia – FUNDACENTRO, criada em 1975 com os primeiros cursos: administração, ciências contábeis e economia.
Inicialmente foi intitulada de Fundação Universitária do Município de Porto Velho, com a Lei Municipal nº 125 de 1976, foi modificada sua denominação para
Fundação Centro de Ensino Superior de Rondônia – FUNDACENTRO.
Com a criação do Estado de Rondônia, surge a Universidade Federal de Rondônia – UNIR, criada  pela Lei nº  7.011 de 08/07/1982. Mesmo passando por várias transformações internas, o antigo prédio do Porto Velho Hotel abriga a Reitoria e Pró-Reitorias da Universidade Federal de Rondônia, popularmente conhecido como prédio da UNIR/Centro.
 Continua imponente no seu espaço  retratando o marco de uma época de ouro na nossa cidade de Porto Velho.”



---------

Aeroporto Salgado Filho.


Vista parcial do bairro Olaria - note o instituto Carmela Dutra, e à sua frente o antigo aeroporto Salgado Filho (atual ginásio Cláudio Coutinho), e ao lado deste a praça Aluízio Ferreira.


O 1º  Aeroporto Salgado Filho.


-------------




 Praça General Rondon, 1950 - atual praça Marechal Rondon.
 Praça General Rondon, 1950 - atual praça Marechal Rondon.

Praça General Rondon, 1950 - atual praça Marechal Rondon.


------


Av. Presidente Dutra, 1950 - à esquerda, parte da praça General Rondon.






-----

Vista aérea de Porto Velho, 1950 - ao centro campo de futebol do atual clube Ipiranga.


---










Vista aérea de Porto Velho, 1950.

-------



Canteiro de obras da Madeira-Mamoré, 1910.






Estação Ferroviária de Porto Velho


--------




Ginásio Cláudio Coutinho (déc.80)




-----------







Título da Madeira-Mamoré Railway Company



----------




Visita de Getúlio Vargas a Porto Velho, déc. 1940.






Getúlio Vargas se despede de Porto Velho, déc. 1940.




------------




Porto do Cai n'Água, 1968.







------



Cachoeira/Corredeira de Samuel, 1950.



-----




Cachoeira/Corredeira do Teotônio








Uma foto tirada em 1943 ,
Notem que na região onde é hoje o bairro Olaria (o mais edificado da cidade) só há floresta!




---------




Recém concluída Rodovia BR-364


-----


Vista aérea de Porto Velho, déc. 1980.